5 alimentos que auxiliam na redução da ansiedade!

Transtorno de ansiedade generalizada (TAG), depressão, síndrome de burnout, síndrome de FOMO, entre muitos transtornos atuais são apontados como causas e resultados da correria que se observa nas grandes metrópoles, bem como da imersão nas redes sociais.

Atualmente, o Brasil é o País que a população mais sofre com ansiedade mundialmente. Segundos dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), temos o maior número de pessoas no mundo acometidos com o transtorno, são cerca de 18,6 milhões de brasileiros – aproximadamente 9,3% da população.

Por ser algo extremamente pessoal e de causas diversas, a ansiedade não tem como ser tratada de uma maneira geral. Entretanto, pesquisas atuais nas áreas de gastroenterologia e nutrição vêm mostrado alguns avanços em relação a alimentação, ou seja, alguns alimentos que podem auxiliar na diminuição da ansiedade por meio de seus componentes nutricionais, balanceando hormônios e o funcionamento corporal.

Sendo assim, decidimos listar cinco alimentos e seus componentes que ajudam a reduzir esse quadro. Contudo, é importante lembrar que visitas a especialistas nas áreas de endocrinologia, gastroenterologia e nutrição são de extrema importância para acompanhamento do quadro, não podendo somente a alimentação, sem o acompanhamento de especialistas, ser utilizada para a melhoria do quadro.

CONHEÇA NOSSA CLÍNICA:

1. Castanha do Pará, nozes e amêndoas

Os níveis de inflamação de pessoas que sofrer em transtornos de humor tendem a ser elevados. Por serem ricos em selênio, esses alimentos melhoram tais níveis de inflamação, assim como o humor do paciente, promovendo um alívio da situação enfrentada.

No entanto, é importante lembrar a quantidade de selênio recomendada para um adulto é de 400 microgramas(mcg), ou seja, três ou quatro castanhas por dia, por exemplo. O consumo exagerado da substância pode ser prejudicial à saúde, causando efeitos colaterais.

2. Banana e sementes de abóbora

Por serem alimentos ricos em potássio podem ajudar na regulação do equilíbrio de eletrólitos e gerenciamento da pressão arterial. Segundo especialistas, alimentos ricos em potássio também podem ajudar a reduzir os sintomas de estresse e ansiedade.

Além de potássio, as sementes de abobora também são fonte de zinco, que é essencial para o desenvolvimento cerebral e nervoso. Um estudo revelou que a deficiência de zinco pode afetar negativamente o humor; isso acontece porque os maiores locais de armazenamento de zinco no corpo estão nas regiões do cérebro envolvidas com as emoções.

3. Ovos

Sendo conhecida por ser uma excelente fonte de proteína, os ovos também são ricos em vitamina D e triptofano, sendo esse ultimo um aminoácido um dos componentes necessários para produção de serotonina, um neurotransmissor que auxilia a regular o humor, o sono, a memória e o comportamento.

4. Chocolate

O chocolate tem alto teor de triptofano, um dos aminoácidos que o corpo transforma em neurotransmissores, dentre eles a serotonina, responsável por melhorar o humor. Além disso, é fonte de flavonoides, substâncias capazes de reduzir a neuroinflamação, diminuir a morte celular no cérebro e melhorar o fluxo sanguíneo. Na escolha de qual inserir na sua rotina, prefira os que têm 70% ou mais de cacau, mantendo a porção entre 1 e 3 gramas diárias.

5. Iogurte

As bactérias boas presentes no iorgurte, como lactobaccilus e bifidobacteria, tem efeito positivos na saúde do cérebro. Estudos demonstram que a ingestão dessas bactérias saudáveis aumenta a felicidade em algumas pessoas. Especialistas sugerem que a inflamação crônica pode ser parcialmente responsável pela ansiedade, stress e depressão; como produtos lácteos em geral produzem efeito anti-inflamatório no corpo, o iogurte pode ser útil no combate aos sintomas da ansiedade.

Entretanto, conforme supracitado o excesso de ansiedade e stress requerem acompanhamento de especialistas que será capaz de fazer um diagnóstico preciso e recomendar o melhor tratamento.

Quem devo procurar?

Por ser uma matéria que pode envolver muitas especialidades, o mais indicado é fazer um acompanhamento psicológico, bem como tratar de maneira mais assertiva com médicos especializados nas áreas de nutrição, gastroenterologia e endocrinologia, afim de receber um tratamento mais coeso.

Estes profissionais vão poder entender melhor o quadro e indicar qual o melhor tratamento que pode incluir terapias variadas e medicamentos específicos. Se preferir, o paciente também pode apresentar a lista de alimentos citados e verificar a melhor forma de incluí-los na dieta diária. Aqui na Consultrata você encontra profissionais especializados em diversas áreas, marque sua consulta!


Fonte: Clínica Sim