PREVENÇÃO AO SUICÍDIO

Você sabia que o suicídio está entre as dez causas de morte mais frequentes no mundo inteiro e que a maioria das pessoas que acabam tirando a própria vida tem entre 15 e 29 anos apenas?

O que leva uma pessoa a desistir de tudo? Talvez medo, angústia, desespero ou solidão? Haveria outra solução caso a família soubesse o que se passa pela cabeça de alguém que pensa em pôr fim ao próprio sofrimento?
Muitas perguntas relacionadas ao suicídio acabam ficando, na maioria das vezes, sem resposta.

Segundo a Organização mundial da Saúde (OMS), cerca de 800 mil pessoas cometem suicídio todos os anos. Este número equivale a uma pessoa a cada 40 segundos.

LEIA TAMBÉM: 6 CUIDADOS BÁSICOS PARA VIVER MAIS E MELHOR

O QUE LEVA UMA PESSOA A COMETER SUICÍDIO?

Muitas pessoas, em vários momentos da vida, podem acabar pensando que o suicídio é a única solução para os seus problemas.

Entre as causas mais comuns para este tipo de pensamento estão:

  1. SOLIDÃO:
    Ela é uma das queixas mais comuns entre pessoas que tentaram suicídio. O isolamento e a angústia de se sentir sozinho e de que ninguém poderá compreender seus problemas para ajudá-los, que se sentem cansados e que não aguentam mais viver desta forma, são os relatos mais comuns.Mesmo que uma pessoa esteja rodeada de amigos que a amam e que estariam dispostos a ajudá-la, a vergonha em revelar seus sentimentos para outra pessoa agrava, de maneira imensurável, a sensação de abandono e, consequentemente, de solidão. Esta sensação de solidão pode desencadear doenças graves como a depressão.
  1. DEPRESSÃO:
    Neste caso, as pessoas acabam se isolando das demais e desenvolvendo sintomas como: choro excessivo, fácil irritabilidade, desmotivação, não apenas para as atividades diárias, mas também para aquelas atividades que antes lhe agradavam, pois se sentem incapazes de realizá-las.Além disso, por deixarem de confiar nos demais, estas pessoas não conversam sobre o que estão sentindo e vivendo, o que agrava ainda mais o quadro da doença.
  1. DOENÇAS
    Muitas doenças podem acabar deixando sequelas significativas nas pessoas como, por exemplo, quando afetam a fala, a audição, os movimentos ou em casos de doenças como HIV, câncer, doenças terminais, transtornos mentais como a esquizofrenia e a bipolaridade. Essas condições podem impulsionar o desconforto emocional das pessoas.
    Por não conseguirem acreditar em soluções e não saberem como lidar com essas situações, muitas vezes as pessoas acabam se sentindo incapazes não apenas física, mas também psicologicamente, o que aumenta as chances de cometerem suicídio.
  1. PROBLEMAS DE RELACIONAMENTOS:
    Brigas constantes, sejam elas com quem for, podem ser fatores decisivos quando falamos de suicídio. Sentir-se desamparado e o sentimento de abandono provocado por brigas, divórcios e separações podem levar uma pessoa ao suicídio.Em grande parte, essas pessoas pensam que uma relação na qual ela investiu tempo e sentimentos são impossíveis de serem desfeitas. Por este motivo, a separação ou apenas a ocorrência de brigas constantes podem gerar uma carga grande de tristeza e depressão, fatores estes que elevam ainda mais o risco dessas pessoas cometerem suicídio.
  1. DIFICULDADES FINANCEIRAS:
    Na atual situação do nosso país e com o aumento do desemprego e a crise econômica, as pessoas acabam desencadeando quadros de solidão, crises familiares, sensação de perda e impotência. Nestes casos, o suicídio por muitas vezes pode parecer a única saída, o que agrava as tendências autodestrutivas.
  1. BULLYING:
    Existe uma relação muito grande entre o bullying e o suicídio. Ao sofrer bullying, a pessoa acaba desenvolvendo quadros de ansiedade, depressão e pânico. Em algumas ocasiões, a utilização de álcool e drogas é vista como a única forma de superar este problema.
  1. LUTO OU PERDAS IMPORTANTES:
    Perder alguém de quem gostamos, sempre nos causa uma dor imensurável e deixa em nós um vazio impreenchível. Em alguns casos, estes sentimentos podem levar a pessoa a depressão, aumentando os riscos de tentativas de cessar com a própria vida na esperança de resolver este problema.
  1. TIMIDEZ:
    Pode parecer loucura listar a timidez como um fator de risco para pessoas que pensam em cometer suicídio, entretanto, a timidez é, sim, um fator importante que devemos ficar atentos.
    Não se trata da timidez normal, mas sim da patológica que é conhecida também como Transtorno de Ansiedade Social.

COMO PREVENIR?     

Tentativas de suicídio devem ser encaradas como um grito de socorro, motivado pelo desejo de falar dos sentimentos que sufocam e impedem essas pessoas de levarem uma vida feliz. Elas não sabem se preferem viver ou morrer, ou se preferem as duas coisas ao mesmo tempo.

É preciso ouvir essas pessoas, sem qualquer tipo de julgamento, e acreditar em tudo o que elas estão falando, pois somente assim seremos capazes de oferecer a ajuda que elas necessitam. Converse sobre a importância de procurar uma ajuda profissional, indique ou encaminhe para uma avaliação psicológica e/ou psiquiátrica. Essa, sem dúvida alguma, será a melhor coisa que você poderá fazer.

Fique atento aos sinais que podem levar alguém a cometer suicídio, afinal, essas pessoas podem estar muito mais perto do que imaginamos e, principalmente, gostaríamos.

DESTAQUES CONSULTRATA: