Acidentes de trabalho podem causar danos irreversíveis à visão

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia estima que cerca de 150.000 acidentes oculares ocorrem todo ano no Brasil. A maioria deles acontece com homens de 30 a 40 anos, dentro do ambiente de trabalho, e 85% tem o potencial de deixar sequelas. Mas a boa notícia é que mais de 90% dos acidentes oculares podem ser evitados com medidas de prevenção individual e coletiva.

Veja a seguir os 6 acidentes oculares mais comum na rotina dos trabalhadores:

Queimaduras

Seja pela exposição a agentes químicos ou físicos, as queimaduras podem gerar danos irreversíveis. As queimaduras com solda, por exemplo, podem gerar sintomas até 12 horas após o ocorrido. Nesses casos, dor muito forte, lacrimejamento, aversão à luz e vermelhidão são as reclamações mais comuns.

Contusões

As lesões por contusões se caracterizam por não haver perfuração dos tecidos, os danos são provocados pelo choque de superfícies. Objetos sem ponta ou o próprio maquinário da empresa são frequentemente os culpados, podendo provocar fratura do osso que sustenta a órbita e aumentar a pressão interna. Os sintomas desses acidentes oculares são visão dupla, perda de sensibilidade em parte da pele do rosto, olho roxo e sangramentos.

Presença de corpo estranho

Pequenos fragmentos metálicos, poeira e pequenos retalhos originados de lixadeiras podem cair no olho do trabalhador, o que dá a sensação de incômodo e sintomas de irritação, como lacrimejamento e vermelhidão. O ideal é procurar o serviço de saúde para retirar o corpo estranho, aplicar um colírio e um antibiótico para reduzir o risco de infecções. Caso a córnea seja lesada, pode haver a formação de uma pequena cicatriz que pode prejudicar a visão. Neste caso, a busca por um profissional deve ser prioridade.

Perfurações do globo ocular

Objetos pontiagudos, como facas e estilhaços de madeira, metal ou vidro, quando em contato com o olho, perfuram o globo ocular e distorcem toda a anatomia do olho. Nesses acidentes oculares, como o globo ocular está completamente exposto ao ambiente, o acidentado deve ser encaminhado imediatamente para o serviço de segurança de trabalho da empresa.

Conjuntivite

O ambiente de trabalho pode ser fonte de exposição a alérgenos, como a fumaça e os produtos químicos. Isso contribui para a formação de um quadro de conjuntivite alérgica ou até mesmo para um ótimo cenário de disseminação de conjuntivite infecciosa. Embora esses acontecimentos não entrem no conceito popular de acidente, eles são considerados acidentes de trabalho e devem ser notificados.

Síndrome da visão do computador

Como muitos trabalhos envolvem ficar horas de frente para o computador, essa síndrome está se tornando cada vez mais comum. Geralmente é caracterizada por cansaço visual, ardência nos olhos, lacrimejamento, visão ofuscada, dor de cabeça e sensibilidade à luz.

É importante manter a atenção ao realizar atividades do dia a dia, a fim de evitar possíveis acidentes. Sempre priorizando o seu bem-estar e a sua saúde.

Como manter a atenção no trânsito e evitar acidentes

Enquanto dirigimos, estamos exercendo funções psicológicas e cognitivas ao mesmo tempo. Implicações negativas no uso destas funções impactam a segurança no trânsito, não apenas à sua segurança, mas também, a segurança de todos aqueles que estão a sua volta. Hoje, frente aos dados estatísticos cada vez mais preocupantes do crescimento de acidentes de trânsito, vitimando pessoas todos os dias, cria-se a necessidade eminente de pesquisas e investimentos no estudo da importância da atenção no volante.

 

No trânsito, os motoristas estão constantemente expostos a fatores de risco. Conduzir um veículo envolve uma série de processos de grande importância: memória, atenção, tomada de decisões em um ambiente repleto de informações, diversidade de sons e imagens. Um dos problemas mais graves envolvendo a atenção de motoristas no trânsito é o TDAH, um transtorno que vem aumentando cada vez mais no dia a dia das pessoas, e acaba prejudicando o desempenho de quem apresenta os sintomas deste problema.

Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade

Primeiramente é necessário esclarecer que o TDAH não é uma doença, e sim um transtorno, portanto não há cura para o problema, mas existe tratamento. Inclusive muitas pessoas podem apresentar sintomas que caracterizam este problema, mas se sentem inseguras em procurar um profissional.

O Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade é uma síndrome caracterizada por desatenção, hiperatividade e impulsividade. Por isso, para diagnosticá-lo com precisão é necessário um profissional que costume trabalhar com uma visão bem ampla das queixas que o paciente traz para a consulta.

Existem profissionais especializados em atender pacientes com o TDAH, os quais, por conhecerem mais profundamente o transtorno, podem oferecer diagnósticos mais assertivos. Esse diagnóstico pode ser realizado por psicólogos ou médicos psiquiatras.

Problemas na visão causam aumento nos acidentes de trânsito

Segundo dados da ONU de janeiro de 2018, O Brasil está em quarto na lista de países com mortes no trânsito. Muitas dessas mortes poderiam ter sido evitadas se as pessoas cuidassem mais de sua visão. Isso é consequência da falta de prevenção da maioria dos brasileiros, os quais só fazem o check-up ocular no momento de renovação da CNH, que acontece a cada 5 anos para motoristas com até 65 anos, e a cada 3 anos para quem já passou dos 65 anos. Nesses períodos entre um check-up e outro, podem ocorrer grandes mudanças na saúde da visão, principalmente a partir dos 40 anos, quando os olhos ficam mais sensíveis a qualquer dano.

Para aqueles que costumam pegar a estrada, seja a trabalho ou a lazer, separamos algumas dicas que podem evitar acidentes na estrada:

Dicas para evitar acidentes da estrada

  • Não esqueça os óculos ou lentes de contato. Conduzir o veículo sem utilizar qualquer dessas lentes corretoras é infração gravíssima, sujeito à multa e retenção do veículo.
  • Lentes amarelas no período da noite pode reduzir a sensação de ofuscamento na estrada.
  • Em viagens mais longas, é aconselhável parar pelo menos a cada duas horas de estrada para lavar o rosto, o que não só lubrifica os olhos ajuda a inibir o sono, que é normal, principalmente a noite.
  • Opte por lentes anti-reflexo e com proteção ultravioleta, para amenizar a luz do sol e proteção à catarata.
  • Se você tem mais do que 40 anos, exames periódicos são mais do que recomendáveis. É após essa idade que a visão cansa, e são mais comuns os casos de presbiopia, catarata e glaucoma.
  • Cuidado! Se o reflexo dos faróis embaça a sua visão por um tempo maior do que o normal talvez esteja na hora de consultar um oftalmologista.

Em resumo, dê atenção especial à sua visão e visite um oftalmologista rotineiramente, além de garantir sua saúde ocular, você poderá evitar futuros problemas a você e sua família.

A importância de fazer consultas periódicas a um oftalmologista

A maioria das pessoas pensa que só deve consultar com um oftalmologista quando está com perda parcial ou total da visão, na verdade a oftalmologia é uma especialidade que se deve ter prevenção. Segundo o censo de 2010 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 6,5 milhões de pessoas possuem algum tipo de deficiência visual, a nível mundial esse número chega a 40 milhões, segundo a Organização Mundial da Saúde. Com isso, pode-se ter uma noção do quão importante é o cuidado que se deve ter com visão.

Não importa qual seja a sua idade, é importante que você faça um diagnóstico anualmente junto a um oftalmologista, para ter certeza que está tudo bem, e se não está, tomar medidas para solucionar o quanto antes, o problema. A primeira visita ao oftalmologista deve acontecer logo após o nascimento e aos seis meses, depois com visitas de dois em dois anos, entre os dois e seis anos de idade. Depois desse período a consulta é anual.

Os cuidados com a saúde ocular pode ser dividida em seis fases:

Pré-Natal

Os primeiros cuidados começam durante a gravidez. O acompanhamento pré-natal é muito importante. Os exames solicitados pelo ginecologista ajudam a detectar doenças existentes e que podem comprometer a saúde do bebê, entre elas: rubéola e a toxoplasmose podem causar cegueira e problemas neurológicos.

Recém-nascido

Ao nascer, o bebê enxerga pouco. A visão se desenvolve no decorrer dos anos. A catarata e o glaucoma congênito podem ser detectados com o “teste do olhinho” ou reflexo vermelho. O exame é capaz de detectar várias doenças, entre elas o câncer ocular e a catarata congênita. Bebês podem apresentar nos primeiros dias de vida olhos vermelhos e lacrimejantes (dacriocistite) causados pela obstrução do canal lacrimal.

Infância

A visão alcança a maturidade aos cinco anos. É importante prestar atenção aos sintomas de problemas oculares nas crianças: lacrimejamento excessivo (indícios de obstrução do canal lacrimal ou glaucoma congênito), olho torto (vesguice ou estrabismo), dor de cabeça, mal estar e mesmo forçar a visão para realizar tarefas do cotidiano como ler, desenhar e escrever.

Período Escolar

Nesta etapa da vida os problemas comuns são os refrativos (miopia, astigmatismo e hipermetropia).

Adolescência: as doenças refrativas podem ser corrigidas com uso de óculos, lentes de contatos ou ainda pela cirurgia para sanar o problema. No período da adolescência pode ocorrer o aparecimento do ceratocone, provocando irregularidades na córnea. O principal sintoma é coceira excessiva nos olhos. A doença não tem cura. O tratamento ajuda a melhorar a visão e reduzir a deformidade da córnea.

Adulto

Presbiopia popularmente conhecida como vista cansada, coceira nos olhos e lacrimejamento – a grande dificuldade é focalizar objetos próximos. Este problema pode ser solucionado com o uso de óculos e lentes de contato e normalmente ocorre a partir dos 40 anos.

No dia 7 de maio, é celebrado o dia do oftalmologista, uma das especialidades de nossa clínica, com isso, separamos algumas dicas para você manter a sua qualidade na visão:

  • Faça exames de acuidade visual ao menos uma vez ao ano;
  • Jamais use os óculos ou lentes de outras pessoas;
  • Não compre óculos por conta própria;
  • Proteja os olhos do sol usando óculos com lentes que protegem dos raios ultravioleta;
  • Utilize colírios somente por recomendação médica;
  • Use produtos ópticos originais e de qualidade;
  • No caso de irritação, lave-os bem com água corrente.

5 principais doenças do coração para você conhecer

Problemas cardiovasculares estão nas primeiras posições de doenças que mais matam no Brasil. Por isso, é importante conhecer as principais doenças do coração, para cuidar-se e evitar complicações.

Antes de tudo, é importante lembrar que a realização frequente de Check-Ups médicos é a melhor forma para diagnosticar precocemente e tratar enfermidades, que muitas vezes, ainda não manifestaram sintomas.

Alguns fatores causadores das doenças cardiovasculares não podem ser alterados, como a predisposição genética. Porém, maus hábitos agravam as consequências. A falta de exercícios físicos e o não cuidado com a alimentação levam à obesidade, fator que impacta consideravelmente a saúde do coração e coloca o paciente em risco.

 

5 principais doenças do coração

Arritmia

Trata-se de um distúrbio do batimento cardíaco. Quando muito rápido, chama-se taquicardia, quando muito lento, bradicardia, ou mesmo, irregular. A arritmia é causada por problemas no sistema elétrico de condução do coração, motivados por hipertensão, diabetes, artérias bloqueadas, hipertireoidismo, alcoolismo, fumo, consumo exagerado de cafeína, estresse e uso de drogas em geral.

 

Ataque cardíaco (infarto agudo do miocárdio)

Complicação provocada pela falta de sangue e oxigênio no músculo cardíaco, tendo como principais sintomas a transpiração em excesso, falta de ar, dor no peito e mal estar súbito. Ao identificar os sintomas, o paciente deve ser levado imediatamente ao hospital, já que cada minuto sem atendimento, o risco de morte aumenta proporcionalmente.

 

Doença vascular periférica

O acúmulo de gordura nas artérias periféricas (braços e pernas) é o gerador desse problema. Dores nos membros, queda de temperatura local e dormência são os principais sintomas quando acontece essa redução ou obstrução do fluxo sanguíneo.

 

Insuficiência cardíaca

Trata-se de uma complicação em que o coração não possui forças suficientes para bombear o sangue para o resto do corpo. É uma doença que se desenvolve com o passar do tempo, podendo afetar um dos lados do músculo cardíaco ou a totalidade dele. A manifestação pode ocorrer por dois tipos, a Sistólica, quando o coração não consegue bombear o sangue, e a Diastólica, quando os músculos ficam rígidos e não se enchem suficientemente de sangue.

 

Miocardite

Causada principalmente por bactérias, vírus, fungos, protozoários, doenças autoimunes, uso de determinados medicamentos e o consumo exagerado de álcool ou drogas. A miocardite trata-se da inflamação de um músculo do coração, chamado miocárdio e que muitas vezes não apresenta nenhum sintoma.

 

Hábitos importantes para evitar as principais doenças do coração

  • Controlar o colesterol sanguíneo;
  • Prevenir e controlar a diabetes;
  • Prevenir e controlar a hipertensão (pressão alta);
  • Manter um peso saudável;
  • Adotar uma dieta saudável;
  • Praticar exercícios físicos regularmente;
  • Ingerir álcool com moderação;
  • Não fumar.

Doenças respiratórias no outono: saiba como se proteger

O outono é a estação de transição entre o verão e o inverno, e nesta época a temperatura sofre mudanças bruscas. A combinação desse fator com a baixa umidade do ar, são causadores de diversas doenças respiratórias no outono. Devido às baixas temperaturas, as pessoas costumam ficar em locais fechados sem a ventilação de ar, o resultado disso são problemas inflamatórios e alérgicos, como resfriado, gripe, asma, laringite, bronquite, bronquiolite e pneumonia.

Outro fator que colabora com as complicações na saúde é o maior acúmulo de poluentes no ar devido à diminuição das chuvas, da temperatura e a baixa umidade atmosférica. Por isso, para se prevenir de doenças respiratórias no outono é necessário evitar ao máximo ficar por muito tempo em locais com grande circulação de veículos, além é claro, de evitar grandes aglomerações de pessoas.

Otite, sinusite, rinite e conjuntivite são outras patologias que podem se manifestar nessa estação. Todas as pessoas ficam expostas, mas crianças e idosos costumam ser os mais afetados por doenças respiratórias no outono. Isso acontece porque na infância o sistema imunológico ainda está em desenvolvimento, enquanto na terceira idade, esse sistema encontram-se debilitado.

Não é só o sistema respiratório que sofre com o outono, a pele também fica mais ressecada e como resultado, aparecem rachaduras e alergias, isso acontece porque ar mais seco e a baixa temperatura dificultam a dispersão de partículas de água.

 

Proteja-se contra as doenças respiratórias no outono

Se proteger, significa prevenir, por isso:

evite permanecer em ambientes fechados e pouco arejados com outras pessoas

– mantenha o seu organismo hidratado

lave as mãos frequentemente com água e sabonete líquido (e essa dica vale para o ano todo). Sempre que possível, faça também o uso de álcool gel

– tenha uma alimentação adequada e equilibrada com vitaminas e nutrientes que protejam o sistema imunológico

 

Dica extra:

Garanta a saúde do sistema respiratório no outono, mas também cuide da sua pele. Utilize hidratantes específicos para o rosto e outro para o corpo. Por fim, evite banhos muito quentes, pois eles favorecem o ressecamento da pele.

 

Siga as dicas, converse com o seu médico, previna-se de complicações e aproveite o melhor da estação!

Check-up médico completo: uma garantia para sua saúde

A visita ao médico não deve acontecer apenas em casos de dores e problemas com a saúde. É importantíssimo que você faça um Check-Up médico completo na frequência indicada.

O Check-up médio completo trata-se de uma avaliação de rotina que avalia o paciente através de exames que variam de acordo com a idade, sexo e histórico pessoal e familiar do paciente.

Existem dois objetivos principais, são eles:

1 – prevenção de doenças através do diagnóstico precoce.

Muitas vezes é possível prevenir doenças que estão a caminho, seja com a vacinação ou a mudança de atos, como dar início à prática de atividade físicas, por exemplo.

2 – diagnóstico de doenças já instaladas mas que ainda não se manifestaram

No Check-Up médico completo é possível identificar estágios iniciais de doenças como o diabetes, colesterol e hipertensão.

Há cada quanto tempo o Check-up médico completo deve ser realizado?

É importante que você siga as instruções do seu médico, pois é ele que indicará a frequência adequada, de acordo com as necessidades individuais. Entretanto, se você ainda não conversou com o seu médico, você pode ter uma noção do tempo de intervalo entre um Check-Up e outro, nos itens abaixo:

– Adultos saudáveis: de 2 em 2 anos

– Pessoas com fatores de risco (fumantes, obesos e sedentários): 1 vez por ano

– Pacientes com doenças crônicas (hipertensão, diabetes ou câncer): A cada 6 meses

Dicas rápidas para o Check-up

– tenha com você exames anteriores para que sejam também avaliados

– informe sempre para o clínico do Check-up os dados para contato do seu médico

– siga as orientações sugeridas

Quais são os principais exames presentes em um Check-Up médico completo?

– Exame de urina e fezes, para analisar as funções digestivas

– Análise de sangue, que entre outros objetivos, serve para detectar inflamações, infecções e doenças

– Exame oftalmológico, para verificar a saúde dos olhos

– Eletrocardiograma, que detecta possíveis alterações e complicações cardíacas

Atenção, além destes exames citados, o check-up médico da mulher deve conter o Papanicolau, conhecido como preventivo. Já os homens devem realizar exames de ultrassonografia e PSA, para avaliar a próstata.

Lembre-se, estas são apenas algumas informações sobre o check-up médico e os exames mais comumente indicados. É importante que você procure o seu médico e siga as orientações dele, com toda certeza, é ele quem poderá indicar as melhores ações e garantir que a sua saúde esteja em dia.

6 cuidados básicos para viver mais e melhor

Simples atividades da rotina se tornam grandes pesos quando a saúde não está em dia. Não importa se são pequenas dores ou doenças sérias, não estar bem impacta diretamente no nosso humor e produtividade. Por isso, a prevenção é a palavra-chave e são necessários cuidados básicos para viver mais feliz.

6 cuidados básicos para viver mais e melhor

Beba água

É óbvio que o primeiro item não poderia deixar de ser a água. É ela a responsável pela hidratação e todas as outras funções do corpo, como circulação, digestão e excreção.

A água ainda permite que a temperatura do corpo seja mantida e por isso, exige um número mínimo de consumo, que para um adulto é em torno de 2 litros diários.

Alimente-se bem

A alimentação é fundamental para a geração de energia e saúde do corpo, mas não é com qualquer alimento que isso acontece. Alguns itens que precisam estar no cardápio todos os dias são os legumes, frutas e verduras.

Carnes e grãos também são importantes, pois fornecem nutrientes fundamentais para o bom funcionamento do organismo.

Dê atenção para higiene pessoal

Na rua ou na sua própria casa, você pode se contaminar com bactérias que prejudiquem a sua saúde. Para evitar que isso aconteça, lave as mãos com frequência, utilize álcool gel, lave bem os alimentos, evite colocar as mãos no rosto e andar descalço, mantenha roupas, calçados e a casa limpa e não esqueça de tomar banho pelo menos uma vez ao dia e escovar os dentes depois das refeições.

Pratique exercícios físicos

Seguir os cuidados acima é fundamental, mas para que tudo isso gire em harmonia, você também precisa movimentar o corpo.

Infelizmente não são todas as pessoas que gostam de praticar atividades físicas, toda via, é preciso que entre na rotina. Uma dica muito importante é que você procure atividades que interessem você. Uma dança, um tipo de luta, corrida, caminhada, academia, e por aí vai.

O importante é não fica parado.

Tire um tempo para você

Um tempo para você descansar e fazer o que gosta. É importantíssimo respeitar o seu corpo e dar a eles momentos de prazer, como a prática de um hobbie, ou então, um noite bem dormida.

Estipule horários para você dormir para que possa descansar e acordar no dia seguinte com as energias recarregadas.

Tire também momentos de preguiça. Sente-se, leia um livro, converse com familiares e amigos ou simplesmente fique lá sozinho.

Faça exames com frequência

Se você costuma ter uma boa saúde, estipule um mês na sua agenda, para que todo ano nesse período você procure um médico e faça exames.

Esse período pode ser menor caso você tenha complicações de saúde e por isso, precisa seguir as orientações do seu médico.

Pronto, agora fica fácil ter saúde com esses cuidados básicos para viver mais!

Surpresa final!

Preparamos algumas perguntas para você responder e descobrir como anda a sua saúde. É simples e rápido. Para acessar, clique aqui.