Infecção urinária na mulher

A infecção urinária se deve pela presença de microrganismos em alguma região do trato urinário. Há pessoas, em sua maioria mulheres, que apresentam bactérias no trato urinário, mas não desenvolvem a infecção. Tem-se como principais causas: relação sexual e presença de bactérias do trato gastrointestinal, que migram até a bexiga. A infecção possui dois tipos: cistite (afeta a bexiga) e pielonefrite (afeta os rins).

Sua incidência se dá de 80%  90% em mulheres, principalmente, durante a idade reprodutiva e mulheres na menopausa, isso acontece pela queda do estrogênio e de micro-organismos que protegem a região íntima.

Sintomas

Os principais sintomas na mulher são:

  • Aumento da frequência urinária;
  • Sensação de esvaziamento incompleto;
  • Dor suprapública;
  • Disúria (ardor na uretra durante a miccção);
  • Sangue na urina;
  • Alteração do aspecto físico da urina (aparência turva, coloração escura, odor forte).

Em casos mais graves, pode-se ter dor lombar, febre e mal-estar.

Prevenção

Para prevenir recomendam-se algumas atitudes para ser realizadas diariamente, como:

  • Ingestão de líquidos em grande quantidade;
  • Não reter urina;
  • Micção antes e após relação sexual;
  • Evitar uso do  diafragma e espermicidas;

Exame

Para diagnosticar, o especialista pode solicitar a urocultura com antibiograma. Que é um teste realizado em laboratório, que identifica a sensibilidade a alguns antibióticos do agende causador da doença. Se sentir algum sintoma procure um ginecologista.

Fonte: Gineco

 

Obesidade infantil

A obesidade infantil se dá quando a criança está acima do peso para sua idade e altura. Segunda dados do IBGE, uma a cada três crianças no Brasil está acima do peso adequado. Quando a criança se encontra com alguns quilos acima do seu peso normal, ela pode sofrer algumas complicações até a vida adulta. E por mais que a obesidade seja controlada durante os anos, muitas doenças, como hipertensão, diabetes e colesterol alto, são consequências da obesidade infantil. Ela também pode levar a depressão e baixa autoestima.

Existem alguns fatores que acabam aumentando o risco da obesidade em crianças e adolescente. Como:

  • Uma dieta desequilibrada, rica em alimentos industrializados e congelados, refrigerantes, fast foods, frituras e doces.
  • Sedentarismo, atividade física ajuda a queimar calorias ingeridas, além de melhorar a circulação, fortalece os músculos e ossos.
  • Histórico familiar de obesidade. A obesidade têm influência genética, e maus hábitos alimentares podem ser influenciados em casa, pelos pais.
  • Fatores psicológicos, crianças estressadas ou entediadas podem comer mais do que o normal.

Alguns hábitos podem ajudar a evitar a doença, veja:

Alimentação saudável

É importante investir em frutas, legumes, vegetais. Substituir os alimentos refinados por integrais. Evitar alimentos e bebidas ricos em gordura, açúcar e sódio como bolachas, biscoitos e refeições prontas, refrigerantes, e até sucos industrializados.

Prática de atividade física

Os exercícios físicos ajudam na queima de calorias, fortalecem os ossos e músculos, ajudam a melhorar o humor, e até no sono da criança.

Os especialistas que podem diagnosticar e tratar obesidade infantil são: pediatra, endocrinologista, nutrólogo e nutricionista.

Fonte: Minha Vida

 

Intoxicação alimentar: como evitar

A intoxicação alimentar acontece por meio da ingestão de água ou alimento que estão contaminados. Ela pode se dar, também, em ambientes onde os alimentos passam por uma higienização precária. A intoxicação alimentar pode ocasionar gastrite e demais sintomas na região digestiva. E independente do causador, seus principais sintomas são: dores no estômago, cólicas abdominais, dores de cabeça, febre, calafrios, diarreia, vômitos e fraqueza. Mas ela pode ser evitada, tomando alguns cuidados na hora de ingerir alimentos e líquidos.

Cuidados com os alimentos

É importante sempre higienizar bem os alimentos antes de serem consumidos, assim como os utensílios em que serão preparados. As pessoas que forem preparar os alimentos devem lavar bem as mãos antes de ter contato com os alimentos. E todas as pessoas devem lavar bem as mãos antes de consumir qualquer alimento, principalmente depois de entrar em contato com ambientes que possuem uma quantidade maior de bactérias, como o banheiro. Também é importante evitar comer peixes crus, e carnes e ovos mal cozidos.

Cuidados com a água

Para evitar intoxicações o melhor é evitar o consumo de água de poço, rio ou demais regiões que não passam pelo devido tratamento. Somente consumir água que seja potável, filtrada, ou fervida.

Fonte: Abc.med

Cuidados para evitar a gripe no inverno

Durante o inverno é comum os casos de gripe e resfriado aumentar. E uma das principais causas desse crescimento é porque as pessoas ficam aglomeradas em locais fechados, e sem ventilação, a fim de fugir das baixas temperaturas.

Veja alguns cuidados que você pode ter que irão te ajudar a evitar que você fique com alguma dessas doenças:

Higienize as mãos

Quando alguém tossir, espirrar, ou até assoar o nariz, as secreções podem ficar no ar, e em suas mãos, e quando tomar em corrimãos e maçanetas o vírus ficará no local. E caso alguma outra pessoa toque essa superfície contaminada e leve as mãos ao nariz, olho ou boca, será infectada. Por isso é importante lavar sempre bem as mãos. E embora seja mais prático, segundo Paulo Olzon, professor da Universidade Federal de São Paulo, o álcool gel não pode ser utilizado como um método de higiene, pois ele não desinfeta as mão completamente.

Lave as narinas com soro fisiológico

Com o nível baixo de umidade do ar no inverno a mucosa nasal sofre ressecamento. Esse ressecamento diminui a produção de secreção, e ela ajuda a barrar a entrada dos agentes infecciosos. Esse anticorpo é capaz de proteger o organismo de infecções virais e bacterianas. Utilizar o soro fisiológico para lavar as narinas duas vezes por dia já é suficiente.

Evite aglomerações

Locais com muitas pessoas favorecem a transmissão do vírus, e nesses ambientes entrar em contato com secreções de espirros e tosses contaminadas é mais fácil. Evitando locais fechados, como cinema ou ônibus, com muitas pessoas pode ajudar a evitar o contato com os vírus da gripe ou resfriado.

Fonte: Veja

 

 

Como evitar o surgimento de acne durante a TPM

Os problemas de pele e a TPM sempre andam lado a lado, e a principal causa disso são os hormônios. As alterações hormonais típicas do período menstrual afetam o corpo feminino com diversas mudanças, entre elas há a variação dos níveis de oleosidade da pele, o que causa obstrução dos poros e, assim, o surgimento de acnes.

E essa situação pode ser um incômodo. E ainda que pareça inevitável, existem alguns cuidados que ajudam a previnir o aparecimento de cravos e espinhas. Tente estabelecer uma rotina de cuidados com a pele, a fim de diminuir os efeitos de oleosidade nos dias da TPM.

Mantenha a pele limpa

Neste período pré-menstrual é normal que a pele esteja mais oleosa, e para isso ter o hábito de higienizar bem o rosto é algo fundamental. A higienização pode ser feita com água gelada e sabonete, mas, há alguns produtos específicos para esses casos. Lembre de consultar um dermatologista e ver qual tipo de produto é indicado para sua pele.

Consuma bastante água

Manter-se hidratada é fundamental para o controle de oleosidade, para isso, é muito importante beber água. Manter esse hábito além de melhorar a pele, vai ajudar sua saúde como um todo.

Tenha uma alimentação saudável

É importante que neste período seja evitado o consumo de alimentos muito gordurosos, como laticínios, açúcares e óleos. Prefira a ingestão de alimentos mais saudáveis como frutas e verduras. Uma alimentação balanceada é fundamental para ter uma pele bonita e saudável.

Adquirindo esses hábitos, você irá reduzir a oleosidade na sua pele, e ainda, diminuirá a chance de surgirem espinhas. Consulte um dermatologista e saiba quais produtos você pode utilizar para otimizar seus hábitos, sem agredir sua pele.

Fonte: Buscofem

 

Hidratação: três motivos para você beber a quantidade certa de água

A água é essencial para a nossa vida. Sendo fundamental para processos fisiológicos de digestão, transporte de nutrientes entre as células, absorção e excreção, regularização da temperatura do corpo, sem contar do importante papel que desempenha no sistema circulatório. Para isso é importante manter a hidratação do corpo, veja três motivos para você beber água:

Funcionamento intestinal

A água que ingerimos é rapidamente absorvida no estômago e intestino delgado, ajudando na hidratação e amolecimento das fezes. Promovendo assim a regularização do funcionamento intestinal.

Melhora a qualidade da pele

A ingestão de água ajuda na manutenção da elasticidade, da hidratação e do tônus da pele. Ainda, melhora a circulação sanguínea, e ajuda a previnir o envelhecimento precoce.

Estimula o sistema imunológico

A defesa do organismo contra microorganismos que entram através do sistema respiratório e gastrintestinal é realizado por anticorpos, em sua maioria pelas imunoglobulinas tipo A (lgA), as quais se encontram, principalmente, na saliva. Beber bastante água vai garantir um nível equilibrado de secreção salivar, assim, impedindo reduções drásticas nos níveis de lgA.

Consumir água é muito importante para o funcionamento do organismo, e cada um possui a quantidade ideal para o seu. Consulte um nutricionista e saiba o quanto de água é saudável para você.

Fonte: Globo.Com

 

Mantenha sua pele saudável com alguns cuidados diários

Para manter a sua pele saudável é importante seguir alguns passos diários, ou até mesmo, criar uma rotina de cuidados com a pele.

Veja alguns cuidados para manter sua pele saudável

Higiene

É importante limpar a pele duas vezes por dia, de manhã e à noite, a fim de evitar o acúmulo de oleosidade e resíduos de poluentes. O acúmulo de sujeira na pele leva ao entupimento dos poros, e favorece o aparecimento de cravos e espinhas, sem contar com o envelhecimento precoce.

Hidratação

Uma boa hidratação vai auxiliar na manutenção do vigor e beleza da pele. Também irá ajudar a manter a integridade da camada de proteção cutânea, e evitar problemas como descamação, ressecamento, envelhecimento precoce, irritações e infecções.

É importante utilizar, diariamente, hidratantes adequados a cada tipo de pele e específicos para o rosto e o corpo. É importante lembrar que as peles oleosas precisam de hidratação também.

Proteção solar

A exposição à radiação ultravioleta tem efeito cumulativo e penetra profundamente na pele, sendo capaz de provocar diversas alterações, como o bronzeamento e o surgimento de pintas, sardas, manchas, rugas e outros problemas. O excesso de exposição solar pode causar tumores cancerosos.

A maioria dos cânceres da pele está relacionado à exposição ao sol, por isso todo cuidado com a sua pele é pouco. Use sempre protetor solar com fator de proteção solar (FPS) de 30, ou maior.

 

Marque uma consulta com um dermatologista, e veja quais produtos são indicados a seu tipo de pele, e mantenha sua pele saudável, e prevenida de futuras doenças.

 

Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia